sábado, 22 de dezembro de 2012





Você tem cheiro de roupa limpinha com mente suja...





"Eu tenho um milhão de motivos pra fugir de pensar em você, mas em todos esses lugares você vai comigo. Você segura na minha mão na hora de atravessar a rua, você me olha triste quando eu olho para o celular pela milésima vez, você sente orgulho de mim quando eu solto uma gargalhada e você vira o rosto se algum homem vem falar comigo. Você prefere não ver, mas eu vejo você o tempo todo."

Tati Bernardi







“Ninguém é sensível, ninguém é bruto o tempo todo. Todas as vezes que tentam me colocar num desses estereótipos, eu fico angustiado, sabe? Porque não é verdade. A vida é plural e a gente é feito de vários momentos. A construção da personalidade é feita de vários momentos, dentro de impressões sobre o mundo que você tem a cada momento e antes de qualquer coisa eu tenho muito mais conflito do que certeza.” 


(Marcelo Camelo)



“Eu quase consegui abraçar alguém semana passada. Por um milésimo de segundo eu fechei os olhos e senti meu peito esvaziado de você. Foi realmente quase. Acho que estou andando pra frente. Ontem ri tanto no jantar, tanto que quase fui feliz de novo. Ouvi uma história muito engraçada sobre uma diretora de criação maluca que fez os funcionários irem trabalhar de pijama. Mas aí lembrei, no meio da minha gargalhada, como eu queria contar essa história para você. E fiquei triste de novo. Hoje uma pessoa disse que está apaixonada por mim. Quem diria? Alguém gosta de mim. E o mais louco de tudo nem é isso. O mais louco de tudo é que eu também acho que gosto dele. Quase consigo me animar com essa história, mas me animar ou gostar de alguém me lembra você. E fico triste novamente. Eu achei que quando passasse o tempo, eu achei que quando eu finalmente te visse tão livre, tão forte e tão indiferente, eu achei que quando eu sentisse o fim, eu achei que passaria. Não passa nunca, mas quase passa todos os dias. Chorar deixou de ser uma necessidade e virou apenas uma iminência. Sofrer deixou de ser algo maior do que eu e passou a ser um pontinho ali, no mesmo lugar, incomodando a cada segundo, me lembrando o tempo todo que aquele pontinho é um resto, um quase não pontinho. Você, que já foi tudo e mais um pouco, é agora um quase. Um quase que não me deixa ser inteira em nada, plena em nada, tranqüila em nada, feliz em nada. Todos os dias eu quase te ligo, eu quase consigo ser leve e te dizer: “Ei, não quer conhecer minha casa nova?” Eu quase consigo te tratar como nada. Mas aí quase desisto de tudo, quase ignoro tudo, quase consigo, sem nenhuma ansiedade, terminar o dia tendo a certeza de que é só mais um dia com um restinho de quase e que um restinho de quase, uma hora, se Deus quiser, vira nada. Mas não vira nada nunca. Eu quase consegui te amar exatamente como você era, quase. E é justamente por eu nunca ter sido inteira pra você que meu fim de amor também não consegue ser inteiro… Eu quase não te amo mais, eu quase não te odeio, eu quase não odeio aquela foto com aquelas garotas, eu quase não morro com a sua presença, eu quase não escrevo esse texto. O problema é que todo o resto de mim que sobra, tirando o que quase sou, não sei quem é.”








“Minha maior tristeza é que todo novo amor que eu arrumo vem sempre com algum velho amor tão longo e bonito. E eu sofro porque com pouco tempo não consigo ser melhor que o muito tempo. E de sofrer assim e enlouquecer assim, nunca dou tempo de ser muito para esses amores porque estrago antes. Mas meu melhor amigo é meu único amor. O único que consegui. Porque ele sempre volta. E meu coração fica calmo. E ele vai comigo na pizzaria e todos meus amigos novos morrem de rir porque ele é naturalmente engraçado e gente boa e sabe todos os assuntos do mundo. E todo mundo adora meu melhor amigo. E eu amo ele. E sempre acabamos suspirando aliviados “alguém é bobo como eu, alguém tem esse humor” e mais uma vez rimos da piada que inventamos, do pai que chega pro filho e fala: sua mãe não é sua mãe, eu transei com outra”. E esse é meu presente dessa fase tão terrível de gente indo embora. Quem tem que ficar, fica.”








“Queria tanto ficar bem sem você, sem falar, sem contato, mas ao mesmo tempo quase morro quando você não me conta como foi seu dia. Já basta essa distância insuportável e ficar um dia sem ter noticias suas acaba comigo.”


Tati Bernardi

terça-feira, 6 de novembro de 2012






Minha lâmpada de cabeceira está estragada. Não sei o que é, não entendo dessas coisas. Ela acende e, sem a gente esperar, apaga. Depois acende de novo, para em seguida tornar a apagar. Me sinto igual a ela: também só acendo de vez em quando, sem ninguém esperar, sem motivo aparente. Para a lâmpada pode-se chamar um eletricista. Ele dará um jeito, mexerá nos fios e em breve ela voltará a ser normal, previsível. Mas e eu? Quem desvendará meu interior para concertar meus defeitos?


Caio Fernando Abreu



segunda-feira, 5 de novembro de 2012






Nesses caminho de idas e vindas não me perderei. A minha rua já 
não encontra com a tua de modo que passamos um pelo outro
perdidos e invisíveis. No caminho só ficou silêncios e olhares 
distantes.


Dal Hofmann

terça-feira, 30 de outubro de 2012






“Semana passada liguei pro meu melhor amigo e convidei para um cinema. A gente não se falava desde o ano novo, quando tudo deu errado pro nosso lado. De tempos em tempos sumimos, falamos umas coisas horríveis de quem se conhece demais. Ele topou desde que fosse daqui pra frente, preguiça de conversar da briga e tal.
E fomos. Cheguei antes, comprei. Ele chegou depois, comprou água. Porque eu comprei os ingressos, ele comprou também uns doces e disse que pagaria o estacionamento. Porque ele pagaria o estacionamento, eu disse que daria a carona da volta. E com meu coração tão calmo eu voltei a sentir o soninho de sofá de casa com manta que sinto ao lado dele. A gente não se beija nem nada, mas quando vai ver pegou na mão um do outro de tanto que se gosta e se cuida e se sabe. Já tivemos nossos tempos de transar e passar nervoso e aquela coisa toda de quem ama prematuramente. Mas evoluímos para esse amor que nem sei explicar. Ele me conta das meninas, eu conto dos caras. Eu acho engraçado quando ele fala “ah, enjoei, ela era meio sem assunto” e olha pra mim com saudade. Ele também ri quando eu digo “ah, ele não entendeu nada” e olho pra ele sabendo que ele também não entende, mas pelo menos não vai embora. Ou vai mas sempre volta. Não temos ciúmes e nem posse porque somos pra sempre. Ainda que ele case, more na Bósnia, são quase quinze anos. Somos pra sempre. Ele conta do filme que tá fazendo, eu do livro. Os mesmos há mil anos. Contar é sem pressa de acabar. Se ele me corta é como se a frase que eu fosse falar fosse mesmo dele. É um exibicionismo orgânico, como se meu silêncio pudesse continuar me vendendo como uma boa pessoa. 
São quinze anos. É isso. Ele me viu de cabelo amarelo enrolado. Eu lembro dele gordinho e mais baixo. Ele sempre comprou meus testes de gravidez, mesmo a suspeita nunca sendo nossa. Eu já fui bem bonita numa festa só porque ele queria me fazer de namorada peituda pra provocar a ex mulher. Minha maior tristeza é que todo novo amor que eu arrumo vem sempre com algum velho amor tão longo e bonito. E eu sofro porque com pouco tempo não consigo ser melhor que o muito tempo. E de sofrer assim e enlouquecer assim, nunca dou tempo de ser muito para esses amores porque estrago antes. Mas meu melhor amigo é meu único amor. O único que consegui. Porque ele sempre volta. E meu coração fica calmo. E ele vai comigo na pizzaria e todos meus amigos novos morrem de rir porque ele é naturalmente engraçado e gente boa e sabe todos os assuntos do mundo. E todo mundo adora meu melhor amigo. E eu amo ele. E sempre acabamos suspirando aliviados “alguém é bobo como eu, alguém tem esse humor” e mais uma vez rimos da piada que inventamos, do pai que chega pro filho e fala: sua mãe não é sua mãe, eu transei com outra”. E esse é meu presente dessa fase tão terrível de gente indo embora. Quem tem que ficar, fica.”

— Tati Bernardi


segunda-feira, 29 de outubro de 2012



No fundo. Bem no fundo daqueles olhos tinha uma leveza clara como a luz que atravessa à água. Era na leveza do ser que estava toda aquela dor que era pessoal e intransferível. 

Dal Hofmann


Tem sempre um pedaço faltando. Uma pessoa faltando. Um amor faltando. Quando vim parar nesse mundo vim faltando pedaço.  Essa falta me fez Frágil e sensível demais. Duro de menos. 

Dal Hofmann





Eu que nada sou, quero virar ar, pó. 

Dal Hofmann

segunda-feira, 22 de outubro de 2012





"Todos os filmes que vemos e todas as histórias que ouvimos, nos imploram pra esperarmos por ele.
A virada no terceiro ato.
A inesperada declaração de amor.
A exceção à regra.
Mas, as vezes, estamos tão concentrados em achar o nosso final feliz que não aprendemos a ler os sinais.
Como, distingir entre os que nos querem e os que não nos querem.
Distingir entre os que vão ficar e os que vão partir.
E talvez este final não inclua um cara maravilhoso.
Talvez... dependa de você...
Talvez esteja por sua conta, juntando os pedaços e recomeçando.
Se libertando para achar alguma coisa melhor no futuro.
Talvez o final feliz seja só seguir em frente.
Ou talvez o final seja este... saber que apesar das ligações não retornadas e
todas as mágoas...
Apesar de todos os erros e sinais mal interpretados, apesar de toda dor e
constragimento, você nunca... nunca perdeu a esperança!"

Filme: Ele não está tão afim de você

terça-feira, 18 de setembro de 2012



Se você soubesse como ando escuro, como ando perdido, como me distanciei de mim e das coisas em que acreditava.

Caio F. Abreu 




Perdoa minha falta de jeito. Perdoa meu coração e o que faço com o teu. Eu jamais poderei ser feliz sabendo que você não está bem. Eu quero te ver sempre maior.
Estava pensando no que construímos juntos e vejo que o resultado são mais sustos que amor. Mais cobranças que alegrias. Por um lado um passa por frio, frigido. Do outro o abandono parece ser maior que o que o outro sente. É certo que o amor precisa ser falado, dito. Gritado de cima dos muros mais altos. Não se pode amar em silêncio. Parece que amar em silêncio diminui sua intensidade e importância. O preço do silêncio é tão caro quanto o abandono. Dizer-se presente não é o mesmo que estar ao lado. Na construção desse amor está o celular que afasta mais que aproxima. Meu coração é teu. Minha vida é tua. Muitas vezes meu silêncio só queria conversar com o teu.
Será que você não consegue ver nada nos meus olhos. Será que meus olhos mentem pra você?
poxa, te amo tanto.

Dal Hofmann

sábado, 8 de setembro de 2012



Pessoas que tendem se fazer de vitimas geralmente trás um rastro

 de erros que não podem ver. Cegas por sua vitimização só 

conseguem enxergar o erro nos outros. E tendem fazer de suas 

vidas um modelo errôneo a ser seguido. Saia da pele do cordeiro e 

mostre o lobo que você é. Sim, eu sou o caçador e arrancaria sua 

falsa pele com as mãos.

Dal Hofmann

sexta-feira, 31 de agosto de 2012





Ela disfarçou estar louca e tentou enganar a vontade desconsertada.
Ele insistiu na insanidade, riu do disfarce e declarou-se a ela.

(...)Os prazos não foram subestimados e as horas desaceleraram. Seus passos se desajustaram.O desejo consumiu algumas palavras e confundiu os sentimentos novatos. Ele apaixonou-se. Ela morreu de amor."

(Ana Carolina) 








...mais feliz quem sabe.




quinta-feira, 16 de agosto de 2012






Era 13 de Janeiro... 

Lembro-me como se hoje fosse. Éramos dois estranhos, perdidos e sozinhos. Tinha lua no céu. Então pouco tempo fazia tanto tempo que eu te queria. E enquanto eu te abraçava meu coração já te queria. O tempo que estive com você foi o melhor que já me aconteceu. Esperei esse tempo todo em silêncio, calado, porque não queria ser precipitado e sair queimando as etapas como foi a forma que nos afastamos. Resolvi te escrever porque no meio de toda aquela confusão de palavras uma coisa muito importante tinha passado desapercebida aos teus olhos. Eu te amava e não importava o que falassem. Sim, as palavras traem o que sentimos e queremos dizer. Quando seu “amigo” veio falar comigo eu sábia que algo de ruim estava para acontecer. Meu coração nunca se engana e dessa vez não tinha sido muito diferente. 

De tudo aquilo que seu amigo me falou e o que eu quis passar para ele foi: “Não importa o que você fale porque não vou me importar. Enquanto ele me quiser não o deixarei”. Infelizmente você não conseguiu notar isso, as palavras às vezes parecem ser o que não são. Utilizam do perigo das entrelinhas. 

Sim. Nesse texto eu estou admitindo que te amei. Estou te dando o direito de saber que foi amado, que você não foi um passatempo. Você não foi vítima da minha vaidade. Sempre te falei que eu não era bonito, assim como você deixou claro. Quando eu disse: “Vai lá nas minhas fotos e olha minha cara de preocupação” não era porque não me importava com você. Mas sim porque nada me afastaria de você. Infelizmente você preferiu acreditar no que pareceu atrativo aos seus olhos e meu erro foi o de ter aceitado esse distanciamento, sem te explicar, sem te mostrar o quanto eu precisava de você. Todas as palavras que usei pra te ferir foram armas que me machucam até hoje. Hoje vejo o preço de um mal entendido, da falta de dialogo. Eu não queria ter direito ao silêncio. A sua presença ainda grita dentro de mim nas letras das canções. Nunca esqueci nossas músicas: Ainda bem e Amado ( Vanessa da Mata) 

“...ainda bem que você aqui comigo! Porque senão, como séria esta vida? Sei lá! Nos dias frios em que nós estamos juntos. Meu corpo sem o seu uma parte seria o acaso e não sorte. “ 

Então é isso: Agora você sabe que eu nunca te esqueci. Pode rir de mim, tripudiar. Não sei os rumos que a sua vida tomou. Mas eu não me esqueci de você nenhum dia. 

“Eu procurei qualquer desculpa para não lhe encarar. Se eu tento esconder meias verdades, você conhece o meu sorriso e lê o meu olhar. Meu sorriso é só disfarce que eu já nem preciso. 

E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais. E te perder de vista assim é ruim demais. E por isso que atravesso o teu futuro e faço das lembranças um lugar seguro. Não é que eu queria reviver nenhum passado e revirar um sentimento revirado. 



Mas toda vez que eu procuro uma saída, acabo entrando sem querer na tua vida!” 

Você era tudo que eu queria. 





domingo, 12 de agosto de 2012






Eu realmente acredito que todo fim precisa ser defeituoso, machucar, arrancar pedaço. Quando os laços se desfazem rápidos, porém brandos, acaba ficando um fino fio unido-os. E esse fio vai te matando aos poucos com os nós na garganta. 


Dal Hofmann

domingo, 5 de agosto de 2012






"Eu sei, eu sei, o eterno clichê “isso passa”. Passa sim e, quando passar, algo muito mais triste vai acontecer: eu não vou mais te amar. 
É triste saber que um dia vou ver você passar e não sentir cada milímetro do meu corpo arder e enjoar. É triste saber que um dia vou ouvir sua voz ou olhar seu rosto e o resto do mundo não vai desaparecer. O fim do amor é ainda mais triste do que o nosso fim. 
Meu amor está cansado, surrado, ele quer me deixar para renascer depois, lindo e puro, em outro canto, mas eu não quero outro canto, eu quero insistir no nosso canto. 
Eu me agarro à beiradinha do meu amor, eu imploro pra que ele fique, ainda que doa mais do que cabe em mim, eu imploro pra que pelo menos esse amor que eu sinto por você não me deixe, pelo menos ele, ainda que insuportável, não desista."

Tati Bernardi








Ele me olha com olhos acostumados. Eu nem sei se ele me acha bonita ou feia, e isso não faz a menor diferença pra ele. Mas pra mim faz.

Divã



sábado, 4 de agosto de 2012





‎''Nós sabemos quem amamos. Mas ás vezes o corpo grita tão alto que é capaz de nos ensurdecer''

Dal Hofmann









Humanos até onde?

São imagens como essa que faz pensar no tipo de seres humanos que estão nos transformando. Sim, estão nos transformando. Ninguém nasce com um coração tão sujo. Pessoas perdem a vida todos os dias diante dos nossos olhos, das nossas telas e lentes. Chega a ser desumana a forma com que a vida está sendo banalizada por motivos políticos. Guerras onde geralmente quem padece é quem está alheio a toda essa sujeirada política. O preço por trás de toda essa dor é muito pequeno diante do sofrimento que traz para essas pessoas, famílias, idosos, crianças, todas que pagam inocentemente. A paz dos templos religiosos é profanada todos os dias em nome do dinheiro e do poder. 

Como diz um trecho da música do Legião Urbana “A humanidade é desumana. Mas ainda temos chance(...)” e é isso. Continuarei esperando por dias melhores.




Foto: Kabul-Massoud-Hossaini-2012. 




sexta-feira, 27 de julho de 2012


Existe uma diferença entre desejar e tornar-se invisível para o desejado. Devemos ter discernimento para saber sair de campo, da sombra, e voltar a ganhar os holofotes de nossa própria vida. Não podemos e nem devemos culpar a vida pela nossa má sorte. Quando não é pra ser não tem oração, santo, e cupido que dê jeito. As coisas são exatamente do jeito que tem que ser e não são erradas por isso. Se não foi dessa vez um dia será. E será melhor. Né isso que nos mandam fazer? Acreditar sempre e mais? 

Dal Hofmann

quarta-feira, 18 de julho de 2012






Chegou a reconhecê-la no tumulto…
…através das lágrimas da dor que jamais se repetiria de morrer sem ela, e a olhou pela última vez para todo o sempre com os mais luminosos, mais tristes e mais agradecidos olhos que ela jamais vira no rosto dele em meio século de vida em comum, e ainda conseguiu dizer-lhe com o último alento:
- Só Deus sabe o quanto amei você. 

(O Amor nos Tempos do Cólera - Gabriel Garcia Márquez)

terça-feira, 17 de julho de 2012





❝ Eu me apego fácil e demoro pra esquecer. Combinação explosiva para um coração fraco como o meu.❝


— Caio Augusto Leite 


segunda-feira, 16 de julho de 2012





Eu levo à sério, mas você disfarça...




Você disse que não sabe se não
Mas também não tem certeza que sim...




Quer saber?
Quando é assim
Deixa vir do coração...




Você sabe que eu só penso em você
Você diz que vive pensando em mim...





Soltar essa louca, arder de paixão
Não há como doer pra decidir
Só dizer sim ou não
Mas você adora um se...

Djavan - Se






Meu Deus onde anda o amor? que fim levou ?
Onde anda ardendo?

Dal Hofmann










Que eu seja sempre estação no trem da minha vida, que o amor esteja sempre de chegada ou de partida, mas que sempre esteja.

Dal Hofmann


Amar é o perder o tom, o som, a cor. É um eterno despetalar-se...

Dal Hofmann



No teu beijo ainda pude sentir o gostinho de mar, de amor.

Dal Hofmann



Minha boca na tua nos dizia que seria teu para sempre. 

Dal Hofmann






É hora de acordar e caminhar mais devagar, certo que na próxima esquina,  na próxima rua, a felicidade estará a nos esperar surpreendente.


Dal Hofmann

quinta-feira, 12 de julho de 2012



A paixão é como Deus que quando quer me toma todo o pensamento...

Maria Rita - Mantra

quarta-feira, 11 de julho de 2012




Ah, meu sol, meu bem minha vida escureceu

Desde que você não quis mais saber de mim
Hoje eu só fiquei com a imensidão do céu
De estrelas mil que se esforçam pra luzir meu vazio...









Tudo que era flor viu o cinza da manhã

E se entristeceu pelo fim do nosso amor
Mar azul também suas ondas estancou
Sem o seu calor o oceano é uma poça sem cor...








Eu, praia linda e nua ventando de paixão

O dia amanhece na minha solidão
E posso ouvir você por entre as nuvens lá no céu:...











Eu namoro a lua mas meu coração

É seu...




Praia Nua - Jorge Vercilo



terça-feira, 10 de julho de 2012





"As pessoas não têm paciência para relacionamentos. Se está ruim elas simplesmente trocam. Não tentam, não se empenham, não lutam para dar certo. Não acho que a gente tem que aceitar tudo que o outro nos dá. Não acho que temos que cruzar os braços para o que está errado. Mas o amor exige uma dose de sacrifício. O amor não é descartável. O amor não pode ser jogado fora. Não dá pra fazer uma lipo no amor. A gente tem é que lutar por ele. Diariamente."

— Clarissa Corrêa.

domingo, 8 de julho de 2012





"Cansei de quem gosta como se gostar fosse mais uma ferramenta de marketing. Gostar aos poucos, gostar analisando, gostar duas vezes por semana, gostar até as duas e dezoito. Cansei de gente que gosta como pensa que é certo gostar. Gostar é essa besta desenfreada mesmo. E não tem pensar. E arrepia o corpo inteiro, mas você não sabe se é defesa para recuar ou atacar. Eu gosto de você porque gostar não faz sentido. Permita-se. Se você acha que no fundo mesmo, apesar de todas essas reuniões e palavras em inglês que só querem dizer que você não sabe o que está falando, o que importa é ter pra quem mostrar que saiu o arco-íris. Permita-se. Porque eu não quero que você tenha essa pressa ao ponto de ajudar com as próprias mãos. Eu quero que você sinta esse prazer que chega aos poucos. E mata tudo que há em volta. E explode os relógios. E chega aos poucos ainda que você ainda não saiba nem quem é pouco e nem quem é lento. Porque você morre. Se você prefere a vida quando se morre um pouco por alguém. Permita-se. Eu não faço a menor idéia de como esperar você me querer. Por que se eu esperar, talvez eu não te queira mais. Eu não queria ir embora e esperar o dia seguinte. Por que cansei dessa gente que manda ter mais calma. E me diz que sempre tem outro dia. E me diz que eu não posso esperar nada de ninguém. E me diz que eu preciso de uma camisa de força. Se você puder sofrer comigo a loucura que é estar vivo. Se você puder passar a noite em claro comigo de tanta vontade de viver esse dia sem esperar o outro, se você puder esquecer a camisa de força e me enroscar no seu corpo para que duas forças loucas tragam algum equilíbrio. Se você puder ser alguém de quem se espera algo, afinal, é uma grande mentira viver sozinho, permita-se. Eu só queria alguém pra vencer comigo esses dias terrivelmente chatos."

Tati Bernardi





Colabora, pô. Tá tão fácil me ganhar. 

Tati Bernardi

segunda-feira, 2 de julho de 2012



‎...teus sinais me confundem da cabeça aos pés, mas por dentro eu te devoro...♪ 




“Você me quer?
Você cuida de mim?
Mesmo que eu seja uma pessoa egoísta e ruim?”

— Cazuza

domingo, 1 de julho de 2012







Prefiro as máquinas que servem para não funcionar:

quando cheias de areia de formiga e musgo - elas
podem um dia milagrar de flores.

(Os objetos sem função têm muito apego pelo abandono.)

Também as latrinas desprezadas que servem para ter
grilos dentro - elas podem um dia milagrar violetas.

(Eu sou beato em violetas.)

Todas as coisas apropriadas ao abandono me religam a Deus.
Senhor, eu tenho orgulho do imprestável!

(O abandono me protege.)

Manoel de Barros